Seu Umbigo

Projeto Saudades Compartilhadas

“Sentimentos registrados num papel: saudades compartilhadas” é a brincadeira que Umbigo Literário para iniciar a seção “Nosso Umbigo”.

Está vendo esta cartinha? Uma anotação, feita por minha avó, no canto superior, à direita, indica “Abril 1982”. Eu tinha 8 anos e colecionava papéis de carta. Quem é da minha geração reconhecerá esta coleção: “Julia”.

Tempos de cartas e papéis… Memórias.

E você? Tem alguma cartinha que escreveu quando era criança? Tem alguma cartinha que recebeu? Se tiver, compartilhe conosco.

Caso queira ver sua cartinha e seu texto publicado aqui, envie a foto da carta e um pequeno texto contando sua história para meu e-mail deborah@umbigoliterario.com.br

Participe! Saudades devem ser compartilhadas!


LEIA AS HISTÓRIAS DE SAUDADES QUE COMPARTILHARAM CONOSCO
Clique nas imagens para ampliar


Enviado por Sônia Andrade  *  

Duas pequenas mensagens recebidas da Lívia.
O primeiro bilhete, acompanha minhas leituras noturnas.
O segundo, recebido quando eu montava nossa nova casa, só eu e ela em nossa nova vida. Eu, preocupada em dar um novo lar, amparar, mas sou eu a amparada. Tão nova, com 9 anos, e já a minha companheira.
Os dois bilhetes dormem na minha cabeceira.


Enviado por  Isabela Maria Gomez de Menezes  *  

Parte dos escritos de sua adolescência, registros de uma época guardada dentro de um diário de capa vermelha.


Enviado por Silvia Massimini Felix *

Uma preciosidade que minha mãe me deu dias atrás: cartinha do meu querido vô Salgado, que faleceu quando eu tinha sete anos, mas de quem tenho muitas lembranças maravilhosas e inesquecíveis… ❤


Enviado pela escritora Ana Cecília Porto *

Escrevi para a minha prima em 1971, há 46 anos…


Enviado por Tatiana Costa Gaffo *

Este CD foi escrito por minha irma/amiga Deborah Brum qdo éramos adolescentes e estavo partindo para uma aventura de vida mudando completamente meu futuro! Vim morar na Itália e com esse CD passei muitos momentos de lembranças da nossa amizade! A coisa mais gostosa de saber è que embora passaram-se anos, nada mudou em relação a isso! Minha irmã de alma, te amo forever! 


Enviado por Marina Corrêa Guimarães *

 Quanta emoção quando a gente encontra no meio de um saco cheio de retalhos esquecidos no armário, uma cartinha com a letra da sua vó, para sua mana. De qual irmã se tratava? Ou seria a letra de uma delas para a minha vó? O papel amarelo e a beleza da mensagem me trouxeram o abraço, o perfume, a saudade e a gratidão dessas avós tão queridas! Olha que amor!

Umbigo Literário

Umbigo Literário

Portal de Literatura.
Aulas e cursos de Escrita Criativa com Deborah Brum.

Comente...

Clique aqui para enviar um comentário

Vídeos

Victor Hugo

Estamos no Instagram!

E também no FB

Assine nossa Newsletter!